Julen Lopetegui já não é treinador do FC Porto

Lopetegui foi despedido e não é mais o treinador do FC Porto. A notícia começou por ser adiantada ontem pelos jornais espanhóis Marca e As – quem sabe pela maior aproximação do treinador à imprensa espanhola, algo manifesto durante este ano e meio à frente da equipa do FC Porto não foi para isso decisivo…Acertada a rescisão do contrato e decidido que será Rui Barros, treinador adjunto interino, a orientar hoje o treino no Olival.

O despedimento vem na sequência das derrotas consecutivas – em casa com o Marítimo por 1-3 que deixa os dragões quase-quase fora da Taça da Liga, com o Sporting por 2-0, para o campeonato – e um empate caseiro. Aliado à palidez das exibições e sobretudo à errância e certa incongruência das opções tácticas de Lopetegui, deixadas à vista do mundo do futebol por exemplo no desastroso empate caseiro para a Liga dos Campeões, e na derrota em Stamford Bridge, frente ao Chelsea que deixou os adeptos em fúria não tanto pelo resultado como pela forma como o treinador basco esplanou e apresentou a equipa em campo.

A juntar-se ao factor resultado – talvez não tão decisivo no FC Porto como noutros emblemas, sobretudo os outros dois grandes, e é nisso é preciso dar mérito a Pinto da Costa – para o despedimento do técnico espanhol terá sido, terminante o facto deste ter contado – o que não acontecia desde José Mária Pedroto – com poderes totais para fazer e desfazer o plantel, contratar adjuntos, além de para tal dispor de um orçamento record que nunca nenhum treinador do FC Porto alguma vez teve em toda a história. O resultado disso, porém, foi deveras negativo, além de esclarecedor: zero títulos em dois anos. O que também se reflectiu no divórcio com os adeptos e também com os “notáveis” que não poupavam Lopetegui à critica, nem Lopetegui era imune à crítica acusando mesmo recentemente em Alvalade a imprensa portuguesa de o querer “cortar às rodelinhas”.
Fim da linha pois para Julen Lopetegui. Luís Castro – que já orientou os portistas após a saída de Paulo Fonseca e que está mais uma vez a fazer uma brilhante época na equipa B, estando em primeiro lugar na 2ª Liga – é uma forte hipótese até ao final do campeonato. Nuno Espírito Santo, Paulo Bento, Michael Laudrup, Rafa Benitez, Ernesto Sampaoli, ou Marcelo Bielsa estão disponíveis e podem, em princípio, desde já assumir o cargo. A decisão fica pois nas mãos de Jorge Nuno Pinto da Costa, um dos grandes derrotados desta situação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *