41-DSC_9788

Leão preguiçoso deixa dois pontos em Moreira de Cónegos

O Sporting empatou, empatou-se e deixou fugir a liderança em Moreira de Cónegos. A lembrar um tanto quanto a época passada e sua hemorriagia de pontos e displicência. O Sporting deu toda uma primeira parte ao Moreirense – por mais desmentidos que neguem que a equipa não estaria a pensar no FC Barcelona – e na segunda esperou a estrelinha e a vitória natural. As leis do futebol, todavoa, mostraram que não é assim, por mais cruel que tenha sido aquela bola à barra de Gélson que ainda bateu no risco e quase entrou. Verdade é que os leões assim vêem o Benfica aproximar-se, com unidades a menos, outras que não aproveitaram a oportunidade, como Doumbia, Bruno C+esar (um desastre de nulidade), Alan Ruiz ou até Iuri Medeiros.

O Moreirese de Manuel Machado, que não estava a fazer um campeonato brilhante, ganhou assim um novo alento, soube posicionar-se em campo, dispondo com extrema inteligência a equipa para o contra-ataque, sabendo dar uso a transições rápidas e bastante efectivas.

Rafael Costa marcou aos 43, surgindo completamente isolado, face à completa distracção e passividade da defesa que o deixou uns bons três metros de distância prontinho a receber a bola. Aberhoun, aos 60, faria um auto-golo, a amenizar o resultado, mas nem por isso a frustração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *