Porto começa a sentir o campeonato mais perto

Depois desta jornada ficam 27 pontos ainda para conquistar e Futebol Clube do Porto conseguiu esta noite descolar em definitivo do Sporting, ficando agora com 8 pontos de vantagem sobre o Sporting que, devido aos confrontos directos, acabam por ser 9. O próprio Jorge Jesus, sem admitir explicitamente que o campeonato está perdido, começou a apontar os objectivos internos para o segundo lugar e para a Taça de Portugal e os externos para a Liga Europa. Essa esperança que se perdeu foi bem visível nos jogadores leoninos depois do apito final, deitados no relvado com as mãos no rosto. Já os jogadores do Porto comemoraram esta vitória com uma “volta olímpica” ao estádio, abraçados e visivelmente eufóricos.

O Sporting mostrou um jogo muito mais consistente do aquele que teve nos dois últimos confrontos, contra o Astana e contra o Moreirense.  Isso ficou visível na posse de bola 50% – 50%. Sem algumas das suas peças mais importantes, o Sporting aproveito a excelente forma de Bruno Fernandes para impulsionar o seu ataque. Já o Porto foi bastante inteligente em fazer os seus ataques rápidos em aberturas pelos corredores laterais. E foi sempre dessa forma que criou perigo, ao evitar o “local de trabalho” de William Carvalho – o miolo do terreno.

Queixou-se o Sporting de uma eventual grande penalidade de Diogo Dalot sobre Doumbia, Artur Soares Dias, depois de consultar o vídeo-árbitro mandou seguir. Existe contacto, agora é a velha questão: a intensidade; e aí começa a intensidade dos argumentos de um e outro lado – Jesus na sala de imprensa mostrou que não concordava, mas já não vale de nada.

Uma nota pelo jogo de Gonçalo Paciência: pela primeira vez a titular na equipa do Porto, fez um brilhante jogo, não se escondeu e ainda foi dele metade dos golos de Marcano e de Brahimi. O primeiro golo aparece cinicamente quando o Sporting estava a dominar a construção de jogo.

Aos 40 minutos, sem Bas Dost, o Sporting vê-se ainda mais condicionado quando Doumbia se lesiona sozinho; Montero que foi chamado de novo ao Sporting não parece ser opção para ser chamado para dentro das 4 linhas: quem avança é o miúdo que brilhou no último minuto do Sporting – Moreirense – Rafael Leão vai a jogo. Vai a jogo e marca, dando o melhor final a uma excelente abertura de Bryan Ruiz. Felipe e Marcano ficaram mal na fotografia ao serem apanhados completamente desposicionados e Casillas viu a bola passar-lhe entre as pernas.

O 2-1 acontece depois de mais uma descida de Gonçalo Paciência pelo corredor lateral – os laterais do Sporting estiveram bem no ataque mas a defender, também por falta de ajuda do meio campo leonino, tiveram erros que influenciaram o resultado.

A 20 minutos do fim o jogo ficou partido, com algumas jogadas sem nexo de parte a parte no meio campo. Um pouco depois veio a lesão de Marega que acabou por sair de maca e a partir daí o Sporting começou a encostar o Porto à sua área mas, ataques rápidos dão nisto, poderia ter acontecido o 3-1 se Battaglia não salvasse uma bola mesmo em cima da linha. Casillas fez o mesmo, na defesa mais importante da noite e Rafael Leão teve igualmente um momento da noite, este infeliz para ele, porque teve tudo para empatar o jogo, aos 89 minutos, e rematou por cima da trave.

O Futebol Clube do Porto está cada vez mais confortável no primeiro lugar, o Sporting tem de fazer “reset” e  continuar a pensar num jogo de cada vez, já que o Braga não vem muito atrás e o Benfica, mesmo que faça os 3 pontos desta jornada, também não fica fora do alcance; Benfica, que se quer aproveitar este bonus, amanhã está obrigado a ganhar o jogo na Luz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *