Para voar alto, Benfica terá que vencer e convencer

Embalados, Benfica e Maccabi farão a primeira jornada para se credenciarem a quem será o azarão do grupo H, que possui PSG e Juventus.

Após os milagres do Maccabi Haifa nas fases preliminares UEFA Champions League, seu desafio é de um patamar diferente. Na última edição, os encarnados deram trabalho, e caíram somente diante do finalista Liverpool, que perdera para o Real Madrid.

Os benfiquistas estão adotando uma postura cautelosa, por ora, apesar das vitórias, a equipe de Lisboa enfrentou dificuldades contra o Paços de Ferreira e a equipa do Vizela. Em ambos jogos, esteve  um placar de adversidade. A última partida um desafio ainda maior. Com altas doses de emoção, Osmajic abriu o placar para os visitantes deixando o Estádio da Luz atónito. Com a boa defesa dos visitantes, coube a um brasileiro e ex-tricolor, David Neres empatar o jogo na altura dos 31 minutos da etapa final. Nos acréscimos, o Benfica teve Gonçalo Ramos expulso.

O que levaria a crer que a onda de triunfos se esgotaria. No instante final o salvador que nas penalidades decidiu. João Mário converteu e manteve o Benfica com 15 pontos e 10 golos convertidos.
Toda essa tensão não parece ter sido o suficiente para o alemão Roger Schmidt, que admitiu ter recentemente recusado os conterrâneos do Red Bull Leipzig. Agora com a chegada de Draxler, cabe ao treinador como funcionará sua equipa.

Verdade é, que no campeonato israelense, o Maccabi também empolga: são 4 jogos, venceu o tradicional Hapoel e hoje é vice-líder no país. Embaladas, as duas equipas pretendem jogar como triunfaram. Com pressão alta, e uma estratégia adequada para os rivais.
No papel, similares. O Maccabi com sua organização tática impecável, possui três peças importantes: Chery, Pierot e David. Futebolistas cruciais para a forma de jogo e momentos decisivos da equipa na fase de qualificação.

Na forma de jogo, espera-se um Benfica mais agressivo. Não apenas por jogar embalado por seu estádio, e o cobiçado grego alemão Odisseas Vlachodimos será o guarda-redes. Com uma linha de quatro na defesa, Roger Schmidt contará provavelmente com Gilberto e Grimaldo pelas laterais. Na zaga Otamendi e Morato. O médio Enzo Fernández organizará o meio com Rafa e o campeão da Euro em 2016, João Mário. Na frente o trio que poderá ser a arma dos encarnados: Neres, Gonçalo Ramos e a última contratação por empréstimo, vinda de Paris, o alemão, Draxler.

Edição: Vinícius Azevedo
Fotos: Football Dream
Última actualização: 6 de Setembro de 2022

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *