Sporting não avista mais perigo: “Leões” no limite, ou é só começo do ápice?

Tudo indica que a boa equipa lisboeta poderá chegar a reta dos oitavos. Mas ainda sim, é pouco?

Há uns anos o clima tenso. Jorge Jesus saindo pelas portas dos fundos. Desde sendo alvo da organizada, muita violência e o Sporting colapsando.

Rúben Amorim fazendo das laranjas verdes, o melhor suco e faturando o título português no penúltimo ano. Algo inimaginável. O tempo foi e é implacável.

Na Champions, sem sorte. Até que a porta se bateu outra vez e na irregularidade do campeonato português, se fez valer a soberania portuguesa em terras campeãs: Eintracht Frankfurt não aguentando a blitz e sucumbindo a equipa comandada por Edwards, Porro e Trincão. O reflexo disso; Na última coletiva Conte, comandante do Tottenham não mediu elogios e afirmou.

– passando depois por elogiar Rúben Amorim:

“Tenho muito respeito pois já mostrou que é um treinador muito bom mesmo sendo novo. Ele está a fazer um trabalho fantástico, ganhou a Liga passados vários anos e é sempre difícil jogar contra equipas portuguesas, não só o Tottenham. Temos muito respeito pois a Liga dos Campeões é muito difícil uma vez que jogamos contra as melhores equipas do Mundo”, considerou Conte, que já foi campeão em Inglaterra.

Quem é verde e branco trouxe de volta sua devoção. O Sporting buscou ser rentável e autossuficiente no país. Diferente de equipas como o Benfica e adivinha só? Se encontram no mesmo nível de disputa. O mais impressionante é como a resiliência e a esperança do Sporting os trouxeram entre os principais do continente.

Servindo para base e até a seleção principal, os “Leões”, retomaram um caminho e mesmo com tropeços, a lealdade ao bom futebol proposto de Rúben Amorim prevalece. Que venha o Tottenham, que venham os franceses em seguida…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *