William marca e dá justiça ao cair do pano

O Sporting mais uma vez venceu nos descontos. Vitória justa, diga-se, num jogo em que os leões acabam por ser penalizados por alguma falta de intensidade, sobretudo na primeira parte. Já a segunda foi outra coisa, bem distinta. Destaque para a titularidade e boa exibição de Montero, Bryan Ruiz, mais uma vez, e mais uma vez os “meninos” Matheus e Gélson a dizerem presente e acabarem por se revelar decisivos. Slimani, claro, esteve na origem do lance em que Tonel, com o braço, “traiu”a sua equipa. De referir o bom jogo do Belenenses, que preencheu bem os espaços e povoou o meio-campo, sendo mesmo assim muito inferior a um Sporting que podia ter deitado tudo a perder mas mereceu e muito a vitória conquistada a penalti.

Três minutos depois do minuto de silêncio dado em respeito das vítimas dos atentados já o Sporting quase marcava, foi Adrien mas mérito todo da jogada para Adrien. Três minutos depois Slimani isola-se mas não chega a tempo.

O jogo entra então numa toada morna, com o Belenenses a exercer outro controlo a meio-campo, pronto a lançar a iniciativa atacante. Aos 17, porém, é o Sporting a rematar por Montero, defesa fácil de Ventura.

Minuto 26 o Sporting começa a atacar com maior insistência.

Aos 37 melhor momento do jogo, a dar calor à toada morna de uma noite fria em Alvalade: Bryan Ruiz numa série de dribles a isolar-se perante o guarda-redes que defendeu o mais justo. Toda a jogada merecia golo, uma maravilha só ao alcance dos craques, dos predestinados, dos génios.

41 minutos Slimani ia marcando, tendo cabeceado ao lado. O Sporting já merecia a vantagem. Oportunidades mais que suficientes e uma pressão alta, quase de asfixia, problema é que assim não foi em quase toda a primeira parte.

Segunda parte começa logo com uma cabeçada de Slimani ao lado. Logo a seguir, João Mário. A bola não queria entrar e maneira nenhuma. A seguir Montero, em jogada de insistência, Slimani não aproveitou a deixa.

31444 pessoas viram então Gélson entrar por Adrien Montero em grande pormenor individual quase marca, estavam decorridos os 62 e a estatística dava 11 remates contra 2, uma discrepância esmagadora quando a bola resiste a entrar. Montero que sai pouco depois para entrar Matheus Pereira.

Carlos Martins (muito assobiado) entra aos 72 por André Sousa. 74 Matheus Pereira em jogada espectacular quase marcar. Pouco depois perda de bola a meio-campo podia ter tido efeitos de pior, não fosse Rui Patrício atento à movimentação a saber antecipar-se.

Outra grande oportunidade falhada mesmo antes de Tabaka entrar po Ruiz, usando uma expressão tão cara a Jesus, o Sporting metia a 1o minutos do fim toda a carne no assador. 83 cabeçada de Slimani à figura de Ventura. Luis Leal dá então o lugar a Tiago Caeiro. Depois Tanaka. Depois Adrien Silva. Depois quatro minutos de desconto e… penalti a favor do Sporting. William Carvalho marcou e deu toda a justiça ao marcador. Estatística: 18 remates contra três do Belenenses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *