Frederico Varandas é o novo presidente do Sporting

No entanto a vitória foi conseguida por mandatos e não por votantes. João Benedito teve mais votantes, Frederico Varandas, mais votos, ou seja 45.019 votos correspondentes a 42,32% da votação.Votaram em João Benedito 9735 sócios, 8717 em Varandas que ganhou com os votos dos sócios mais antigos.
Benedito teve 39.187 votos (36,84%), José Maria Ricciardi, com 14,55% dos votos, Dias Ferreira 2504 votos (2,35%), Tavares Pereira 954 (0,9%) e Rui Jorge Rego  544 (0,52%) votos. 2350 votos foram brancos (2,21%) e 328 foram votos nulos (0,31%).
O médico sucede assim a Bruno de Carvalho, que foi destituído no seguimento dos acontecimentos de Alcochete e de um comportamento errante a roçar a insanidade que em muito prejudicou o Sporting Clube de Portugal, e que pode continuar a fazer correr muita tinta, não estivesse o ex-presidente resolvido em impugnar estas eleições. A ver vamos.
A caravana no entanto passa e Bruno nem sequer foi nomeado no discurso de vitória de Frederico Varandas:
 «A minha primeira palavra vai para os candidatos à presidência do Sporting: Rui Rego, Dias Ferreira, José Maria Ricciardi, João Benedito e Fernando Tavares Pereira. A todos eles saúdo, a todas as pessoas que acompanharam as suas listas e a todo os sportinguistas que o acompanharam. O meu respeito. São sportinguistas que acreditavam que era esse o melhor para o Sporting. Somos todos Sporting.
 Uma palavra especial para o João (Benedito), o segundo candidato com mais votos. O João é um grande atleta e espero que nunca se afaste do clube, porque fará sempre parte da sua história.
Em segundo, queria dar os parabéns a todos vocês e à vitalidade do Sporting. Hoje tivemos o ato eleitoral mais concorrido em 112 anos de história. Demonstra a vitalidade e a força de um clube que não é só especial, mas gigante. Obrigado por demonstrarem a força do nosso clube, com as mais de 22 mil pessoas que votaram.
 À minha equipa, que me acompanha há três meses e meio e que me aturou todos estes dias, o meu obrigado. A minha força está na força da minha equipa.
 A todos os sócios que confiaram nesta lista, que deram ideias, que nos incentivaram, que não vacilaram… muito obrigado do fundo do coração.
 É uma vitoria simbólica e muito importante. Esta é uma vitória da independência, da resistência, da resiliência, da superação e é assim que vai ser o Sporting: um clube que não vai ceder nem vacilar, que nunca vai abdicar dos seus valores e ideais. Nunca!
 E agora vou terminar com comecei, com o lema da minha campanha: unir o Sporting. Agora a missão tem de ser vossa. Unir é estarmos no estádio, no pavilhão e ao lado de um sócio de uma outra lista. Mas quando a bola entrar, vamos gritar todos bem alto que é golo do Sporting. Unir o Sporting é pôr os interesses do clube acima de todos os interesses individuais. Pôr o amor do Sporting acima de todos. Fui um candidato independente, serei um presidente independente. O único compromisso que terei é com vocês, os sócios do Sporting. Tudo faremos para lutar pelo Sporting.
Para terminar vou tirar uma das coisas que guardei desde o dia 20 de maio e que nuca mais tive de coragem de olhar: a medalha de prata de finalista da Taça de Portugal. Esta medalha, mais cedo ou mais tarde, irá com a taça de campeão nacional para o museu do Sporting. Eu prometo, é uma missão e vou cumprir até ao fim!
Viva o Sporting!».
Frederico Varandas toma posse no próprio dia em que é eleito, ou seja, Domingo, será às 19 horas, no Auditório Artur Agostinho.
Lista de presidentes do Sporting:
1906-1910 / Alfredo Augusto das Neves Holtreman
(Visconde de Alvalade).
1910 / Luís Caetano Pereira.
1910-1912 / José Holtreman Roquette (José Alvalade).
1912-1913 / Luís Caetano Pereira.
1913-1914 / José da Mota Marques.
1914-1918 / Daniel Queirós dos Santos.
1918 / Mário de Lemos Pistacchini (Comissão Adm.)
1918 / António Nunes Soares Júnior.
1918-1921 / Mário de Lemos Pistacchini.
1921 / António Nunes Soares Júnior.
1921-1922 / Manuel Garcia Carabe.
1922-1923 / Júlio Barreiros Cardoso de Araújo.
1923-1924 / Pedro Sanches Navarro.
1924-1925 / Júlio Barreiros Cardoso de Araújo.
1925-1926 / José Salazar Carreira.
1926-1927 / Pedro Sanches Navarro.
1927-1928 / António Nunes Soares Júnior.
1928-1929 / Joaquim Guerreiro de Oliveira Duarte.
1929 / Eduardo Mário Costa.
1929-1931 / Álvaro José de Sousa.
1931-1932 / Artur Silva.
1932 / Carlos Correia
1932 / Álvaro Luís Retamoza Dias.
1932-1942 / Joaquim Guerreiro de Oliveira Duarte.
1942-1943 / Augusto Amado de Aguilar.
1943 / Diogo Alves Furtado.
1943-1944 / Alberto da Cunha e Silva.
1944-1946 / Augusto Fernando Barreira de Campos.
1946-1953 / António José Ribeiro Ferreira.
1953-1957 / Carlos Cecílio Góis Mota.
1957-1958 / Francisco de Cazal-Ribeiro.
1958-1961 / Guilherme Brás Medeiros.
1961-1962 / Gaudêncio L. da Silva Costa.
1962-1963 / Joel Azevedo da Silva Pascoal.
1963-1964 / Horácio de Sá Viana Rebelo.
1964-1965 / Martiniano Homem de Figueiredo.
1965-1973 / Guilherme Brás Medeiros.
1973 / Orlando Valadão Chagas.
1973 / Manuel Henrique Nazareth.
1973-1986 / João Rocha.
1986-1988 / Amado de Freitas.
1988-1989 / Jorge Gonçalves.
1989-1995 / José de Sousa Cintra.
1995-1996 / Pedro Santana Lopes.
1996-2000 / José Roquette.
2000-2005 / Dias da Cunha.
2005-2009 / Filipe Soares Franco.
2009-2011 / José Eduardo Bettencourt.
2011-2013 / Luiz Godinho Lopes.
2013-2018 / Bruno de Carvalho.
2018 / Frederico Varandas
PEDRO NOGUEIRA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *