Sporting vence a Taça da Liga 2017-18

O Sporting venceu a Taça da Liga ao vencer o Vitória de Setúbal por 5-4 através da marca dos pontapés de grande penalidade. O jogo acabou empatado 1-1, tendo Gonçalo Paciência marcado primeiro logo aos três minutos, ao tirar com génio o caminho da bola a Coates e depois a rematar colocado sem apelo nem agravo nem qualquer tipo de hipóteses para Rui Patrício. O golo do empate esse viria na segunda parte por intermédio de Bas Dost, de penalti convertido após mão de  Podstawski. O mesmo que falharia a grande penalidade decisiva, rematando à barra. Seria William a marcar o golo decisivo. Ele que como Coates converteram, deixando a claro a importância nas bolas paradas neste tipo de competições.

Em relação ao jogo jogado clara a superioridade do Vitória na primeira parte. Bem preparados e comandados pelo treinador José Couceiro, que estudou bem a equipa do Sporting e as suas dificuldades na saída de bola, os setubalenses exerceram uma pressão alta que bloqueou a normalidade do jogo leonino, os médios pareciam impedidos de circular a bola. Em abono da verdade o Sporting esteve apático, demasiado, tanto que com alguma sorte e mais engenho à mistura os vitorianos poderiam ter chegado ao 2-0, tal a instabilidade da defesa verde e branca. Coates esteve desastrado, Piccini foi uma sombra de si próprio. Rui Patrício salvou as situações, mesmo que com alguma dificuldade com os pés.

A segunda metade traria no entanto outro Sporting, enérgico, a tentar ir ao jogo, empurrando o Vitória para a sua área, obrigando o seu guarda-redes a defesas apertadas. Assim surge o penalti após uma série de defesas de Pedro Trigueira. O mesmo que defenderia o que seria o 2-1, por Bruno Fernandes. E o jogo foi a penaltis. E o Sporting venceu a Taça da Liga com apenas uma vitória contra o União da Madeira. Mas venceu. É do Sporting Clube de Portugal o primeiro troféu da época. Campeão de Inverno, como agora se diz. Com uma Taça patrocinada pelos CTT, e quiçá com alguma justiça já lhe foi dado outro nome, ou perdurará assim, mas fiquemo-nos por aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *